El cuidador en el ambiente hospitalario: una revisión integrativa

Autores/as

  • Berlanny Christina de Carvalho Bezerra Facultade de Enfermagem. Universidade Federal de Pelotas
  • Stefanie Griebeler Oliveira Facultade de Enfermagem. Universidade Federal de Pelotas
  • Letícia Valente Dias Facultade de Enfermagem. Universidade Federal de Pelotas

DOI:

https://doi.org/10.33517/rue2020v15n1a3

Palabras clave:

Cuidadores, Hospitalización, Enfermería, Recursos Humanos

Resumen

Objetivo: Conocer la producción de conocimientos sobre el cuidador en el entorno hospitalario en publicaciones científi cas. Métodos: Revisión integrativa realizada en las bases de datos electrónicas, base de datos de enfermería (BDENF), Literatura de Ciencias de la Salud de América Latina y el Caribe (LILACS) e índice acumulado de Enfermería y Salud Aliada (CINAHL), utilizando el Palabras clave “cuidadores””Cuidador familiar””Hospital” y “hospitalización”, del análisis temático. Resultados: El análisis de los 21 estudios permitió discutir temas tales como: perfi l de cuidadores familiares, sobrecarga física y emocional; Normas y rutinas en el entorno hospitalario; Relación profesional y cuidador en la prestación de atención. Conclusión: La instrumentalización del equipo de salud sobre las necesidades del cuidador en el espacio hospitalario se convierte en fundamental, para que pueda identifi car signos y síntomas de sobrecarga e intervenir con el fi n de contribuir al cuidador familiar

Biografía del autor/a

Berlanny Christina de Carvalho Bezerra, Facultade de Enfermagem. Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira. Especialista em Saúde da Família; Urgência e Emergência; e Enfermagem Oncológica. Mestranda pelo Programa de Pós-graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas. Enfermeira assistencialdo Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas/Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Pelotas, RS, Brasil. 

Stefanie Griebeler Oliveira, Facultade de Enfermagem. Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunto III da Faculdade de Enfermagem e da Pós-graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas. Pelotas, RS, Brasil. 

Letícia Valente Dias, Facultade de Enfermagem. Universidade Federal de Pelotas

Enfermeira. Especialista em Atenção à Saúde Oncológica. Mestranda pelo Programa de Pós-graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Pelotas– Bolsista Capes (Março/2018 a Julho/2019). Enfermeira assistencialdo Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas/Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares. Pelotas, RS, Brasil. 

Citas

Biancalana V, Nicola M, Annunziata P. Lifetime sedentary is a major cause of chronic diseases. Rev.Science, Movement and Health [Internet] 2016; 16(2):301-5. Disponível em: http://www.analefefs.ro/ anale-fefs/2016/i2s/pe-autori/5.pdf [consulta: 18 set 2018].

Vieira CPB, Araújo TME. Prevalência e fatores associados a feridas crônicas em idosos na atenção básica. Rev. Esc. Enferm. USP 2018; 52.

Rodrigues IG, Fragal GP, Barros MBA. Quedas em idosos: fatores associados em estudo de base populacional. Rev. Bras. Epidemiol. 2014; 705-18.

England. Ministry of Health. Central Health Services Council.  e welfare of children in hospital: report of the committee.London: Her Majesty’s Stationery Offi ce; 1959.

Ministério da Saúde(BR). Lei n° 106/2009 de 14 de setembro de 2009. Acompanhamento familiar em internamento hospitalar. Diário Ofi cial da República Federativa do Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2009. [Internet]. Brasil. Disponível em: https:// dre.pt/application/conteudo/489768[consulta: 16 ago 2018].

Sanches ICP, Couto IRR, Abrahão AL, Andrade M. Acompanhamento hospitalar: direito ou concessão ao usuário hospitalizado? Ciênc. Saúde Coletiva 2013; 18(1):6776.

Moura JF, Ferrari J. Grupo de trabalho em humanização: tecendo redes para superar o sofrimento psíquico. Em: Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde, Política Nacional de Humanização. Formação e intervenção. Brasilia: MS; 2010. p. 203-18.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Atenção à saúde da pessoa idosa e envelhecimento. Brasília: Ministério da Saúde; 2010.

Faria AA, Aparecido AM, Khater E. Cuidando de quem cuida-o papel do psicológo com cuidadores de pacientes paliativos. Rev. Saúde em Foco 2017; (9):25-36.

Costa SRD, Castro EAB. Autocuidado do cuidador familiar de adultos ou idosos dependentes após a alta hospitalar. Rev. Bras. Enferm. 2014; 67(6):979-86.

R ibeiro BF, Oliveira SG, Tristão FSA, Santos-Júnior JRG, Farias TA. Práticas de si de cuidadores familiares na atenção domiciliar. Rev Cuid. 2017; 8(3):1809-25.

Oliveira SG, Sartor SF, Velleda KL, Santos- Júnior JRG, Bender JD. Implicaciones de la atención de salud a domicilio en la dinámica familiar: revisión narrativa. Rev. Enfermería Comunitaria 2018; 14:e11170.

Oliveira SG, Machado CRS, Osielski TPO, Oliveira ADL, Fripp JC, Arrieira ICO, et al. Estratégias de abordagem ao cuidador familiar: promovendo o cuidado de si. Revista Extensão em Foco 2017; 13:135-48.

Brasil. Ministério da Saúde. Guia prático do cuidador. [Internet]. 2008. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/ publicacoes/guia_pratico_cuidador.pdf [consulta: 10 de ago 2018].

Oliveira SG, Kruse MHL, Sartor SF, Echevarría-Guanilo ME. Enunciados sobre a atenção domiciliar no cenário mundial: revisão narrativa. Enferm. Glob. 2015; 39:375-89.

Oliveira SG, Kruse MHL, Echevarría-Guanilo ME, Larroque KL, Sanros-Junior JRG, Sartor SF. Atenção domiciliar: estratégia da biopolítica? Rev. Aten. Saúde 2017; 15(54):108-16.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto Contexto Enfermagem 2008; 4(17):758-64.

Marin MJS, Angerami ELS. Caracterização de um grupo de idosas hospitalizadas e seus cuidadores visando o cuidado pós alta hospitalar. Rev Esc EnfermUSP 2002; 36(1):33-41.

Centa ML, Moreira EC, Pinto MNGHR. A experiência vivida pelas famílias de crianças hospitalizadas em uma unidade de terapia intensiva neonatal. Texto Contexto Enferm. 2004;13(3):444-51.

Pena SB, Diogo MJDE. Fatores que favorecem a participação do acompanhante no cuidado do idoso hospitalizado. Rev Latino-am Enferm. 2005; 13(5):663-9.

Félix AP, Martins AP, Dyniewicz AM. Capacitação de cuidadores de pacientes em alta hospitalar. Cogitare Enferm. 2008; 13(1):124-31.

Vieira GB, Alvarez AM, Gonçalves LTI. A enfermagem diante dos estressores de familiares acompanhantes de idosos dependentes no processo de hospitalizacão e de alta. Cienc. Cuid. Saúde 2009; 8(4):645-51.

Schnaider TB, Silva JV, Pereira MAR. Cuidador Familiar de Paciente com Afecção Neurológica. Saúde Soc. 2009; 18(2):28492.

Szareski C, Beuter M, Brondani CM. Situações de conforto e desconforto vivenciadas pelo acompanhante na hospitalização do familiar com doença crônica. Cienc Cuid Saúde 2009; 8(3):378-84.

Leite MF, Gomes IP, Leite MF, Oliveira BRG, Rosin J, Collet N. Condição crônica na infância durante a hospitalização: sofrimento do cuidador familiar. Cienc Cuid Saúde 2012; 11(1):51-7.

Duarte MLC, Zanini LN, Nedel MNB. O cotidiano dos pais de crianças com câncer e hospitalizadas. Rev. Gaúcha Enferm. 2012; 33(3); 111-8.

Oliveira SG, Quintana AM, Budó MLD, Kruse MHL, Beuter M. Internação domiciliar e internação hospitalar: semelhanças e diferenças no olhar do cuidador familiar. Contexto Enferm. 2012; 21(3):591-9.

Cruzeiro NF, Pinto MH, Cesarino CB, Pereira APS. Compreendendo a experiência do cuidador de um familiar com câncer fora de possibilidade de cura. Rev. Eletr. Enf. 2012; 14(4):913-21.

Sales CA, Grossi ACM, Almeida CSL, Silva JDD, Marcon SS. Cuidado de enfermagem oncológico na ótica do cuidador familiar no contexto hospitalar. Acta Paul Enferm. 2012; 25(5).

Antunes F, Marcon SS, Oliveira ML. Sentimentos dos cuidadores de usuários de bebidas alcoólicas frente à internação. Acta Paul Enferm. 2013; 26(6):581-5.

Souza NPG, Maniva SJCF, Freitas CHA. Cuidadores de vitimados por acidente cerebrovascular. Rev. Enferm UERJ 2013; 21(1):101-5.

Xavier DM, Gomes GC, Barlem ELD, Erdmann AL. A família revelando-se como um ser de direitos durante a internação hospitalar da criança. Rev Bras Enferm 2013; 66(6):866-72.

Gomes GC, Erdmann AL, Oliveira PK, Xavier DM, Santos SSC, Farias DHR. A família durante a internação hospitalar da criança: contribuições para a enfermagem. Esc Anna Nery Rev. Enferm. 2014;18(2):234-40.

Xavier DM, Gomes GC, Santos SSC, Lunardi VL, Pintanel AC, Erdmann AL. A família na unidade de pediatria: convivendo com normas e rotinas hospitalares. Rev Bras Enferm. 2014; 67(2):181-6.

Xavier DM, Gomes GC, Salvador MS. O familiar cuidador durante a hospitalização da criança: convivendo com normas e rotinas. Esc Anna Nery Rev. Enferm. 2014; 18(1):68-74.

Gomes GC, Leite FLLM, Souza NZ, Xavier DM, Cunha JC, Pasinin D. Estratégias utilizadas pela família para cuidar a criança no hospital. Rev. Eletr. Enf. 2014;16( 2):434-42.

Morais RCM, Souza TV, Oliveira ICS. A (in)satisfação dos acompanhantes acerca da sua condição de permanência na enfermaria pediátrica. Esc. Anna Nery Rev. Enferm. 2015; 19(3):401-8.

Neves L, Gondim AA, Soares SCMR, Coelho DP, Pinheiro JAM.  e impact of the hospitalization process on the caregiver of a chronic critical patient hospitalizes in a Semi-Intensive care unit. Esc Anna Nery Rev. Enferm. 2018; 22(2):e20170304.

Pope C, Mays N, organizadores. Pesquisa qualitativa na atenção à saúde. 3a. ed. Porto Alegre: Artmed; 2009.

Brasil. Ministério da saúde. Política Nacional de Humanização. [Internet]. 2013. Disponível em: <http://bvsms.saude.gov. br/bvs/publicacoes/politica_nacional_ humanizacao_pnh_folheto.pd> [consulta: 08 out 2018].

Caldana G, Gabriel CS, Ocha FLR, Bernardes A, Françolin L, Costa DB. Avaliação da qualidade de cuidados de enfermagem em hospital privado. Rev. Eletr. Enferm. 2013; 15(4):915-22.

Vieira JM, Matos KAP, Barbosa TLA, Gomes LMX. Los sentimientos experimentados por los familiares de los pacientes hospitalizados en la unidad de cuidados intensivos de adultos. Rev Cubana Enferm. 2013; 29(1):8-28.

Beuter M, Brondani CM, Szareski C, Lana LD, Alvim NAT. Perfi l de familiares acompanhantes: contribuições para a ação educativa da enfermagem. Rev Min Enferm. 2009; 13(1):28-33.

Fernandes CS, Angelo M. Cuidadores familiares: o que eles necessitam? Uma revisão integrativa. Rev. Esc. Enferm. USP 2016; 50(4):675-82.

Consentino SF, Vianna LAC, Souza MHN, Perdonssini GB. Caracteristicas de cuidadores familiares e de usuários de drogas. Rev. Enferm. UFPE on line. 2017; 11(6):2400-7.

Publicado

2020-03-27

Cómo citar

1.
Bezerra BC de C, Oliveira SG, Dias LV. El cuidador en el ambiente hospitalario: una revisión integrativa. RUE [Internet]. 27 de marzo de 2020 [citado 13 de julio de 2024];15(1). Disponible en: http://rue.fenf.edu.uy/index.php/rue/article/view/288

Número

Sección

Artículos originales

Artículos más leídos del mismo autor/a